Logomarca da How Bootcamps
Como se tornar UX Designer e como migrei para UX depois dos 48

Como se tornar UX Designer e como migrei para UX depois dos 48

Confira os 5 passos de Cleber Gossi para a transição de carreira em UX Design.
Comunidade How

Comunidade How

Dicas de como se tornar UX Designer?

Você está pensando em se tornar UX Design, mas não sabe por onde começar? Nesse artigo separamos algumas dicas e um case escrito por um de nossos alunos que vai te ajudar a abrir as portas do mercado. Confira!

O que é uma pessoa UX Designer?

Profissionais UX Designers são responsáveis por oferecer uma boa experiência às pessoas usuárias no momento em que elas buscam por um produto ou serviço. Esses profissionais atuam na área de Design, realizando um conjunto de ações e otimizações para resolver as principais necessidades do público e fazer com que a navegação seja fácil e intuitiva.

Por isso, UX Design vai além da estética de navegação, é um trabalho que requer um conhecimento mais abrangente em múltiplos assuntos para dar vasão a soluções de problemas mais criativos e inovadores.

O que faz uma pessoa de UX Designer?

Agora que você já entendeu o objetivo central de quem atua com UX Design, que tal entender melhor quais são as responsabilidades desses profissionais no dia a dia? Confira.

Entrevistas com pessoas usuárias

A pesquisa é uma prática fundamental em todo processo de UX Design, principalmente no início, em que o objetivo é obter informações das pessoas usuárias para desenvolver produtos e interfaces que atendam às necessidades das pessoas.

A entrevista pode ser usada para analisar a experiência e a usabilidade de um produto ou até mesmo, captar dados demográficos ou etnográficos para desenvolver a persona do negócio.

Construção de personas

Dentro de UX o desenvolvimento de personas é fundamental para criar representações confiáveis das pessoas usuárias que consomem um produto ou serviço de uma determinada marca.

Com uma persona definida, UX Designers conseguem projetar interfaces cada vez mais personalizadas, atingindo nichos mais específicos e atendendo as necessidades e objetivos reais de quem interage com o produto.

Jornada das pessoas usuárias (Jornada do usuário)

É a compreensão de todas as fases de interação entre as pessoas usuárias e o produto/serviço. Quando falamos em Experiência (User Experience) é fundamental entender como as interações acontecem e como podemos melhorá-las.

Para isso, utilizamos abordagens como Design Thinking que significa, “pensar fora da caixa” presentes em 4 etapas: Imersão, Ideação, Prototipação e Implementação. Metodologia que facilita mapear todos os contatos e experiências possíveis e analisar todas as variáveis envolvidas.

Pensa e desenha a arquitetura de informação

Após o desenvolvimento de personas e o mapeamento da Jornada das pessoas usuárias, nessa etapa, UX Designers possuem um grande desafio: Organizar todas as informações de forma fácil e compreensível de se utilizar.

A estruturação da interface com as principais informações que as pessoas usuárias buscam, dentro de uma ordem apropriada, depende da Arquitetura da Informação ou Information Architecture (IA).

Cria Wiframes e Prototipagem

Wiframes são rascunhos e representações de uma interface, reproduzindo um desenho básico de um site ou aplicativo. Enquanto, a prototipagem é a versão mais próxima do produto final, normalmente utilizada em testes com as pessoas usuárias.

Testes de UX

Depois de criar o produto é hora de testar. O teste serve para validar a experiência das pessoas usuárias, gerar insights, descobrir erros e aprimorar a interação em uma plataforma digital.

Como migrar para ser UX Designer?

Confira os 4 passos de Cleber Gossi para a transição de carreira em UX Design. Para o texto original, acesse o Medium do Cleber.

Fazer cursos de UX

Faça pesquisas iniciais pela internet, você vai encontrar muitos lugares com conteúdos riquíssimos, relevantes e que certamente ficarão salvos na sua aba de favoritos. Além de ir atrás de informações, um bom passo inicial é fazer alguns cursos: bootcamps e hackathons.

Fazer networking com profissionais da área.

Estar em contato com profissionais da área é sempre um bom passo. Lembre-se que o processo de networking envolve boas práticas, adicione profissionais que podem ser boas referências em UX. Estar próximo dessas pessoas vai trazer novos insights através das publicações que elas fazem e compartilham.

Ler livros sobre UX, Design Thinking e afins.

Ler livros não vai te fazer profissional de UX, mas absorver os conteúdos, te ajudará a se preparar melhor para o mercado e os desafios da carreira. Muitos destes livros servirão para serem consultados constantemente. Divirta-se!
Participar de redes sociais com profissionais da área.

A comunidade de UX é bastante ativa, o tempo todo tem um evento disponível online. É impossível acompanhar todos, mas você tem a escolha de participar daqueles que mais se adequam à sua disponibilidade.

O bom e velho portfólio.

O que as empresas querem ver é o seu processo de trabalho, quais as técnicas, metodologias e ferramentas que você aplica para resolver problemas. O design está mais na parte final deste processo. E, os desafios são as melhores formas de preparo.

O que é preciso para ser UX Designer?

Conhecer as ferramentas

As ferramentas são essenciais para otimizar o trabalho de UX Designers em várias situações e projetos envolvidos na rotina desse profissional como: prototipagem, testes, usabilidade, criação de personas, jornada e outros.

Conhecimento em design responsivo

UX designers são responsáveis por garantir a experiência, em todos os dispositivos em que as pessoas usuárias acessam um produto ou serviço. Desta forma, o Design responsivo tem foco em garantir que um site seja acessível para qualquer tipo de dispositivo.

Conhecimentos de metodologia ágil

Metodologias ágeis são formatos que garantem um trabalho mais produtivo, ágil e eficaz. E, dentro da rotina de UX esse fator se torna ainda mais importante para que a experiência das pessoas usuárias só aumente. Umas das metodologias mais conhecidas é o UX Lean que ajuda cada etapa do fluxo de UX Design a avançar com rapidez.

Comunicar progressos e entregar nos prazos

O processo de UX possui 4 etapas que possibilita otimizar o trabalho desses profissionais e comunicar as entregas e prazos. Essas etapas são chamadas de imersão, análise, ideação, prototipagem e teste, que envolvem estudos do projeto, pesquisas, brainstorming, prototipação e validação com stakeholders.

Trabalhar em equipe

A colaboração precisa fazer parte da rotina de UX Designers, afinal são responsáveis por conversar com diversas equipes ou squads, entregando as melhores soluções com foco na experiência das pessoas usuárias e do negócio.

Senso estético apurado e bom repertório artístico e publicitário

Para profissionais de UX Design, ter um senso estético apurado fará com que se destaque no mercado de trabalho com mais facilidade. Pois, a experiência também é decidir quais elementos são agradáveis no ponto de vista das pessoas usuárias. E, ter um repertório artístico para mostrar isso, com certeza fará muita diferença.

Inglês

Estudar inglês com certeza vai trazer as melhores oportunidades do mercado internacional. Mas, no Brasil, algumas vagas também solicitam conhecimento do idioma, em oportunidades de home office ou até mesmo para empresas que são estrangeiras.

Qual o salário de um UX Designer?

Segundo as principais portadoras de vagas: Glassdor e vagas.com o salário de uma pessoa que está iniciando em UX Design pode chegar até R$5.193. No mercado internacional, em média o salário é de $85.300 por ano, $7.100.00/mês.

Como conseguir trabalhos na área de UX design?

Os bootcamps são uma ótima porta de entrada para quem deseja migrar de carreira. Geralmente, são imersões práticas que incentivam a construção de projetos e portfólio para conseguir a primeira posição no mercado. Além disso, participe de eventos, comunidades, faça networking e não pare de estudar.

No próximo tópico vamos te mostrar como o nosso ex aluno de UX Design está passando por essa migração, na prática depois dos 48 anos de idade.

Como o Cleber Gossi migrou pra UX depois dos 48 anos

Passo 1: Assim que começou a se interessar por UX, Cleber começou a fazer pesquisas iniciais pela internet e encontrou muitos lugares e conteúdos riquíssimos. O primeiro passo foi fazer alguns cursos gratuitos com estruturas sequenciais que ajudaram a entender como funciona o trabalho de uma pessoa de UX Designer.

Alguns cursos realizados foram: Design Thinking, básicos de Scrum e ferramentas como Figma e Adobe XD. Uma boa prática é você usar o que aprendeu e trabalhar em algum projeto, mesmo que fictício.

Passo 2: Quando uma pessoa está iniciando uma carreira, ela é (ou deveria ser) aconselhada a conversar com profissionais da área para entender um pouco mais sobre como é trabalhar com aquela área específica.

Este contexto se encaixa perfeitamente para quem quer mudar/migrar de área, ou sair de uma área para ingressar em outra. Embora você tenha experiências prévias, e elas contam muito, trabalhar numa área que desconhece ou conhece pouco, vai te trazer novos desafios.

Passo 3: Ler é um excelente hábito! A leitura estimula o cérebro e a criatividade!

“Há livros de que apenas é preciso provar, outros que têm de se devorar, outros, enfim, mas são poucos, que se tornam indispensáveis, por assim dizer, mastigar e digerir.” Francis Bacon.”

Alguns livros que Cleber adquiriu em sua jornada e que podem te ajudar com essa migração são:

Value Proposition Design: Como Construir Propostas de Valor Inovadoras (Alex Osterwalder) 
Mapeamento de Experiências (Jim Kalbach) 
Design Centrado no Usuário (Travis Lowdermilk) 
Não me Faça Pensar (Steve Krug) 
Roube Como um Artista: 10 dicas sobre criatividade (Austin Kleon) 

Passo 4: O time de UX, como já mencionado em alguns tópicos acima, é bastante unido e com muita disposição para ajudar quem está entrando no mercado ou investindo na migração. Por isso, acompanhe os eventos, participe dos grupos no whatsapp e telegram. Você não vai se arrepender. Segue alguns grupos recomendados:

Grupos no Telegram
Clube do UX — https://t.me/clubedoux
UI Lab — https://t.me/uilab
Vagas UX/UI — https://t.me/vagauxui

Medium
Aela: https://medium.com/@aelaio
Bestfolios: https://medium.com/@bestfolios
Edu Agni (Mergo): https://medium.com/@eduagni
HandMade Design: https://medium.com/@HandMadeUX
How Education: https://medium.com/@howeducation

Passo 5: O portfólio sempre foi um item importante a ser considerado, por isso, Cleber Gossi fez o bootcamp de UX Design para começar a desenvolver o seu e se preparar para encarar as oportunidades.

“Terminei o bootcamp em Agosto, alguns dias depois de completar 49 anos! 49 anos, quem diria? Mas me sentia como um garoto iniciando a vida profissional, até neste sentido o UX contribuiu positivamente.”

Conclusão

Todas essas etapas fizeram parte do processo de migração de carreira do Cleber Gossi e atualmente, ele está trabalhando como UX Designer no Grupo Travelex Confidence. Esperamos que esse conteúdo seja útil para você. Confia no processo e conheça o Bootcamp UX Design que preparou o Cleber e pode preparar você para uma próxima oportunidade também.

 

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on twitter
Share on facebook

Outros artigos que você pode gostar

Informação

Assine para receber nossos conteúdos sobre carreiras

Logomarca da How Bootcamps