fbpx

2020: habilidades, tendências para o trabalho e empreendedorismo

foto: Kelly Sikkema

Esse é o primeiro artigo do ano e, como não poderia deixar de ser, fiz um apanhado daquelas listas de tendências para o ano 2020. Os temas são habilidades, tendências no ambiente de trabalho e empreendedorismo.

Começando pelo World Economic Forum, que destacou AS 10 HABILIDADES QUE ESTARÃO EM ALTA EM 2020:

1. Capacidade para solucionar problemas complexos
O relatório informa que 36% das atividades — independentemente do setor — exigirão habilidade para solução de problemas complexos.

2. Pensamento crítico
Pensamento estruturado, capacidade de comunicação e habilidade para fazer as perguntas certas para trazer à tona e resolver problemas.

3. Criatividade
Os cenários de rápidas transformações favorecerão pessoas com capacidade para desenvolver alternativas criativas para resolver problemas.

4. Gestão de pessoas
Capacidade de motivar e desenvolver pessoas e também de identificar talentos são habilidades em alta.

5. Coordenação ao lado de outras pessoas
Colaboração e facilitação de processos são características obrigatórias para CEOs, além da capacidade de coordenar suas próprias ações.

6. Inteligência emocional
Em ambientes cada vez mais incertos, a habilidade de passar por situações adversas e manter a resiliência ganha cada vez mais relevância no ambiente das organizações.

7. Julgamento e tomada de decisão
Habilidades como analisar dados e cenários para a tomada de decisões em ambientes de alta complexidade.

8. Orientação para servir
A capacidade de ajudar os outros, dentro de equipes de trabalho e também no entendimento das necessidades dos usuários.

9. Negociação
Relações exigem uma alta dose de negociação. O Fórum Mundial indica que áreas de computação, matemática, artes e design são aquelas que mais como as exigirão bons negociadores em 2020.

10. Flexibilidade cognitiva
O Fórum Econômico Mundial define a flexibilidade cognitiva como capacidade de criar ou usar diferentes conjuntos de regras para combinar ou agrupar as coisas de diferentes maneiras.

Para saber mais, acesse aqui.

AS 20 GRANDE IDEIAS DO LINKEDIN PARA 2020
Ainda tratando de pessoas, mercado de trabalho e desenvolvimento de habilidades, garimpamos alguns temas do artigo escrito originalmente por Isabelle Roughol e adaptado por Rafael Kato, intitulado As 20 grandes ideias que mudarão o mundo em 2020. Como já é praxe entre os Editores do LinkedIn, o mês de dezembro é o período para filtrar as tendências para o ano seguinte. Aqui, selecionamos algumas:

O benefício mais desejado no trabalho será o tempo.
Temas como o trabalho flexível, experimentos com semanas de trabalho com 4 dias e expedientes mais curtos são demandas do novo profissional — liderados pelas geração Z e os millennials. Essa nova demanda pode beneficiar as mães: pesquisa realizada pela Boston Consulting Group, 69% das mulheres com formação acadêmica não teriam abandonado seu trabalho se tivessem horários mais flexíveis.

Os governos podem ter que tratar a recapacitação profissional como um novo ensino básico.
Segundo Jason Wingard, Reitor da Escola de Estudos Profissionais da Universidade de Columbia, existem três caminhos para resolução dos problemas da recapacitação e desenvolvimento de novas habilidades: partindo das próprias pessoas, investimentos realizados em educação por parte das empresas para manter os seus talentos atualizados e o governo assumindo parte dessa responsabilidade.

Falaremos mais abertamente sobre saúde mental no local de trabalho.
US$ 1 trilhão. Esse é o custo anual da depressão e da ansiedade na economia global, conforme a Organização Mundial da Saúde. Ao mesmo tempo que afeta o indivíduo, as empresas sofrem com a retenção de talentos.

Sua capacidade de foco será a sua competência mais importante.
As distrações causadas por gadgets e aplicativos estão comprometendo a produtividade no trabalho. Para Nir Eyal, autor de “Indistractable: How to Control Your Attention and Choose Your Life” (Indistraível: como controlar sua atenção e escolher sua vida”), “embora as distrações não sejam necessariamente sua culpa, elas são sua responsabilidade”. Eyal dá dicas para manter o foco: domine seus gatilhos internos, planeje seu dia, faça pactos consigo mesmo ou com seus amigos. Ah, e controle seus gadgets.

Vamos questionar o valor do trabalho em si.

Esse tópico passa por dois temas já tratados aqui: flexibilidade e saúde no trabalho. Algumas nações estão reavaliando suas culturas de trabalho e o capitalismo, de maneira ampla. Por mais que o tema gere reflexões, surge o questionamento quanto ao modus operandi de uma cultura sempre ativa e baseada nas realizações.

ENCERRAMOS COM ALGUNS INSIGHTS SOBRE O EMPREENDEDORISMO, RETIRADOS DO MESMO ARTIGO:

A era do empreendedor absoluto irá acabar…
Scott Galloway prevê um declínio de 50% no valor de empresas unicórnio de capital fechado em 2020. O professor de marketing da NYU chama de incineradoras as empresas que queimam dinheiro para comprar crescimento sem perspectivas de obter margens operacionais positivas. Segundo Galloway, o capital retomará o controle da situação e não se deixará seduzir por líderes carismáticos e narrativas de seus projetos.

Um novo tipo de fundador de startup irá emergir.
Jennifer Brandel, fundadora e CEO da consultoria Hearken, é uma das responsáveis pelo “The Zebra Manifesto”, startups que apostam em um novo formato de operação de negócios. Para Brandel, as zebras são startups dedicadas a resolver problemas do mundo real, construindo negócios sustentáveis e lucrativos que crescem em um ritmo gerenciável, recusando os ciclos habituais de rodadas de financiamento.

A transformação social passará pelo empreendedorismo.
O grande desafio para o país será a busca de soluções para os problemas sociais e a melhoria da qualidade de vida das comunidades pobres. Edu Lyra, fundador da Gerando Falcões acredita que a periferia deixa de ser simples coadjuvante e passa a adotar o papel de protagonista, o que ele classifica como “transformação de dentro pra fora; construindo impacto a partir da escassez”.

É isso. Para refletir. E para fazer de 2020, o seu ano. Na torcida.

Renato “Minas” Buiatti é educador e cofounder da How.

 

Voltar para blog