fbpx

UX Writing — os novos movimentos do texto no contexto UX.

Quantas vezes você leu um manual de instruções ou tutorial e se sentiu inferiorizado por não entender nada? É aquele momento que você para, dá uma nova lida, coça a cabeça, dá uma navegada básica na internet, achando que as coisas ficarão melhor da próxima vez que você for ler e nada acontece… Já passou por isso?

UMA DOR, UMA NOVA FUNÇÃO.

Pensando em pessoas que passam por esse tipo de situação — para instalar um novo software ou aplicativo, preencher formulários, inscrições e políticas de privacidade, entre outros — as empresas de tecnologia estão gerando demandas para redatores com habilidades para escrever conteúdo fluido e de fácil compreensão, conectados com as funcionalidades e manuseio de produtos ou serviços, entregando experiências incríveis para o usuário.

APRESENTAMOS O UX WRITING.

Mas, espera um pouco: qual a diferença entre UX WRITING e COPYWRITING?

Embora o texto publicitário e o UX Writing apresentem semelhanças — entre elas, a proposta de melhorar o entendimento sobre o produto ou serviço e criar desejo no consumidor — a diferença é que no UX Writing, o redator é parte integrante do time de design, participando do processo de desenvolvimento, das tomadas de decisão e elevando o conteúdo a um novo patamar. Essa nova forma de trabalho praticamente decreta o fim do famigerado Lorem Ipsum, espaços marcados para textos em projetos dessa espécie, além de criar benefícios de integração de equipe de desenvolvimento com a equipe de conteúdo focados 100% no produto e na interação com o usuário.

EMPRESAS QUE CRIARAM DEMANDAS DE UX WRITING
As pioneiras em adesão ao UX Writing são as startups e as empresas de tecnologia. Entre essas marcas estão gigantes como Spotify, Google, Amazon e Wix, mas não pense que essa tendência é restrita: qualquer empresa que tenha entrega em ambientes e plataformas digitais e que queira criar uma experiência otimizada para seus usuários, cedo ou tarde se renderá às habilidades dos UX Writers.

O QUE ESSES SERES DE UM MUNDO MUITO DISTANTE REALMENTE FAZEM?
Você pode dar de cara com um trabalho dos UX Writers ao navegar por aplicativos, sites, softwares e outros tipos de textos ou microtextos (microcopy). Os exemplos mais comuns são as mensagens de erro, os textos de ajuda, conteúdo para menu suspenso, políticas de utilização de produtos etc. A essência de um profissional de UX Writing é criar uma experiência intuitiva e eficaz, gerando lembrança de marca para o usuário.

“Escrever é fácil. Tudo o que você tem que fazer é riscar as palavras erradas”. Mark Twain.

Bom, então, UX Writers apenas escrevem, certo? Não, a coisa é um pouco mais complexa do que escrever textos.

Como trabalhar com UX Writing. 
Trouxemos 16 regras básicas para o UX Writing eficaz, criadas por Nick Babich, software developer.
Segundo Nick Babich, UX Writing é a prática de criar conteúdo que orienta e interage com usuários. Essa técnica inclui botões, mensagens de erro, notas de segurança, termos e condições e instruções sobre uso de produtos. Seu objetivo é estabelecer comunicação entre usuários e produtos digitais.

Abaixo, listamos as 16 regras de Nick para um UX Writing eficaz:

1. Seja conciso (não confundir com conteúdo simplório ou com limitações técnicas).

2. Evite longos blocos de texto — escreva em blocos, com frases e parágrafos mais curtos.

3. Evite usar palavras negativas mais de uma vez no texto — elas irão aumentar a carga cognitiva.

4. Comece com o objetivo — vá direto ao ponto, sem rodeios.

5. Use verbos específicos sempre que possível — evite os verbos genéricos.

6. Torne a redação consistente — evite trocar uma palavra por seu sinônimo no texto. Evite também falar sobre o usuário na segunda pessoa e na primeira pessoa na mesma frase.

7. Evite o jargão — remova os termos técnicos e use as palavras simples e de fácil compreensão.

8. Escreva no tempo presente — evite o tempo futuro para descrever ações.

9. Escreva na voz ativa — evite o texto na voz passiva.

10. Use numerais no lugar de usar palavras para os números (use 9 no lugar de nove).

11. Evite mostrar todos os detalhes de uma só vez — evite a sobrecarga. Revele os detalhes de uma informação apenas quando for necessário.

12. Identifique os elementos interativos — evite que os usuários tenham surpresas ao navegar no seu conteúdo.

13. Tenha cuidado ao usar o humor — evite, por exemplo, usar humor nas mensagens de erro.

14. Use uma linguagem consistente com a plataforma do usuário — o tipo de conteúdo para um aplicativo não é necessariamente o mesmo de um desktop.

15. Use “hoje”, “ontem” ou “amanhã” em vez de uma data — as pessoas não usam a data quando se referem ao dia anterior ao dia atual. Eles dizem “ontem”. O mesmo princípio pode ser aplicado a UIs.

16. Use gráficos se eles ajudarem você a se comunicar — somos seres visuais.

UX Writing, por fim, é uma expansão do texto para o universo da usabilidade e experiência do usuário.

Voltar para blog