Design Thinking: os passos e princípios para a criação de app para pets

Meu desafio em grupo durante o Bootcamp Design Thinking de Serviços

Nota: Esse artigo foi escrito por Vânia Santos Batista (UX/UI Designer/Designer gráfico) e publicado originalmente no Medium da Comunidade PretUX.

Entre os dias 24/08 e 02/09, eu tive a oportunidade de participar do Bootcamp Design Thinking de Serviços, da How Bootcamp, graças a uma bolsa da Pretux.

Fomos divididos em 4 grupos e o meu ficou com o desafio “Serviço de cuidado com o pet”. Após colocarmos nossas certezas, suposições e dúvidas sobre o desafio na matriz CSD, partimos pro mapeamento dos stakeholders, indo desde o pet até a clínica veterinária. Fizemos benchmarking, analisando concorrentes em serviços para pets, uma desk research e partimos pro mapeamento de experiências.

Decidimos mapear o fluxo de banho e tosa por ser um dos serviços mais recorrentes. Nessa etapa, tivemos a participação de pessoas de outros grupos e descobrimos, traçando o arco dramático, que o ponto baixo da jornada seria o fracasso ao tentar dar banho no pet em casa. Partindo desse pressuposto, fomos para o “Como podemos”, em que surgiu o questionamento de “como poderíamos tornar essa experiência mais prazerosa, tanto para o tutor, quanto para o pet”.

O próximo passo foi a geração de ideias 4X4X4: 4 minutos para ter ideias + 4 minutos para agrupar + 4 minutos para votar. Fizemos a votação e chegamos à conclusão de que criar um kit de banho em casa com equipamentos e produtos seria a solução.

Próxima etapa: ecossistemas de serviços. O serviço e o meio em que ele vai atuar. Quais atores (pet, tutores), em que momento da jornada (hora do banho no pet), locais de interação (banheiro, quintal), o produto ou serviço (sabonete, xampu, escova), a motivação (manter a higiene) e as interações físicas (dar banho, secar) e digitais (app).

E, finalizando, chegamos à jornada do usuário e service blueprint. Definimos as ações do usuário antes, durante e depois do banho no pet; as ações da empresa para resolver esse problema (kit de banho em casa); os canais pelos quais o usuário teria acesso às soluções e, por fim, processos abaixo da linha de visibilidade do cliente, internos e externos e métricas.

Artigo criado por Vânia Santos Batista inicialmente publicado no Medium da Comunidade PretUX e criado como overview do Bootcamp Design Thinking de Serviços com Karla Cruz (99/DiDi). Para conhecer as ofertas de Bootcamps da How, clique aqui.

Voltar para blog