Design2021: aprendizados, mudanças e curadoria com Vitor Guerra

Design2021: aprendizados, mudanças e curadoria com Vitor Guerra

How Bootcamps

How Bootcamps

Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter

Entrevista exclusiva com Vitor Guerra, idealizador do projeto Design2021.

Em 2019 a gente teve contato com um projeto sensacional, o Design2020, uma curadoria de artigos com convidados da área compartilhando suas expectativas sobre o que aconteceria na área em um futuro próximo. Esse projeto foi criado pelo Vitor Guerra (atualmente Head of Design na Petlove). Vitor exerceu todas as funções para que o projeto acontecesse: curador, designer, desenvolvedor, locutor e patrocinador. E ficou incrível!

No fim de 2020, conversamos com o Vitor porque a gente, aqui na How, queria estar junto de alguma maneira. Deu match e acabamos entrando como apoiadores no Design2021. E mais uma vez, o Vitor se superou. A nova edição conta com mais de 90 convidados e os temas são ainda mais abrangentes e profundos.

De quebra, fizemos essa entrevista exclusiva com o Vitor, que conta um pouco da história do projeto, dos critérios adotados para a seleção desses convidados, dos aprendizados e de mudanças, claro — entre elas a de ter sido pai pela segunda venda durante a primeira edição do projeto e de um novo desafio profissional, na Petlove. Confira:

1. Vitor, essa é a segunda edição do seu projeto de curadoria — antes design2020 e agora, design2021. O que mudou nesse meio tempo e quais foram os seus aprendizados entre essas duas edições?

2020 foi um ano absolutamente atípico para todos nós. Enquanto no primeiro ano, os autores e autoras naturalmente escreveram sobre tendências, em 2021 os artigos tiveram um foco em comportamento e sociedade. Como organizador do projeto, tentei convidar um grupo ainda mais diverso na tentativa de trazer muitos pontos de vista sobre nosso mercado e cenário brasileiro. Naturalmente acabei me deparando com ângulos novos sobre antigos problemas e isso é maravilhoso.

2. Como foi feito esse processo de curadoria dos convidados para o projeto? Você adotou critérios específicos para falar com essas pessoas? Desse total de mais de 90 nomes que toparam participar, quantos convites foram feitos ao todo?

A resposta curta, é que convido profissionais do universo do design que se destacam por alguma iniciativa ou pontos de vista sobre nossa profissão. Conversei com cerca de 250 pessoas. Destas, 160 toparam escrever para o projeto, mas por um motivo ou outro uma parte não conseguiu enviar seu material. No fim, publicamos 93 artigos no momento do lançamento e mais alguns irão ao ar agora em fevereiro, chegando a pouco mais de 100 no total. O projeto nasceu de uma vontade de ouvir pessoas que admiro e esse foi meu filtro primário para a curadoria, mas este ano acabei investigando mais nichos e conheci pessoas que não estão nos palcos dos eventos nem tem cargos pomposos em grandes empresas. Essa busca por novos olhares foi um dos critérios mais fortes em 2021. Além disso, ter um grupo diverso de pessoas escrevendo sempre foi uma premissa do projeto.

3. Uma coisa que a gente pode notar é que alguns temas tiveram um crescimento considerável entre as edições, entre eles temas como acessibilidade e inclusão, soft skills e saúde mental. Você acredita que esse é um reflexo natural do ano de 2020 ou acredita que existiram outros fatores que também contribuíram para esse crescimento? Desses temas, quais você acredita que terão maior longevidade? No que devemos prestar atenção?

Sem dúvida passamos a prestar mais atenção a alguns pontos que antes não pareciam tão importantes para nós designers. Cada vez mais acredito que veremos em pauta assuntos ligados ao coletivo, ética e equilíbrio e menos conversas sobre pixels (que nunca deixarão de estar presentes!).

4. Existe um ganho para você também no desenvolvimento desse projeto? (Por exemplo, ter acesso a tanto conteúdo rico de pessoas que fazem parte da comunidade de design, networking etc). O que você pode destacar de todos esses aprendizados e o que você acredita que pode fazer diferença para quem está acompanhando o projeto?

Nem tenho palavras para descrever como cresço só pelo fato de organizar esse projeto! É um privilégio ter um contato próximo com tantos profissionais que admiro. Sempre brinquei que o projeto foi a desculpa que inventei para me aproximar dos profissionais que eu não tinha contato! Acredito que o mesmo vale para quem consome os artigos. É uma chance de conhecer pessoas e pontos de vista diferentes do seu, se aproximar destes profissionais em redes sociais e se deixar levar por novos aprendizados.

5. Você também passou por um processo de grandes transformações nesse período — como um novo desafio profissional e a chegada de um novo filho. Qual foi o impacto dessas mudanças na sua carreira?

De fato! Meu segundo filho nasceu enquanto eu organizava a primeira edição em 2020 e isso quase fez o projeto não acontecer por motivos de “tem um bebê novo em casa”, mas no fim deu tudo certo! Em dezembro de 2020 a novidade foi minha saída do Reclame AQUI onde atuava como Head de Design assumindo a mesma posição no Grupo Petlove. Tenho confiança que estou onde gostaria de estar no momento e que, apesar de um 2020 doido, cada vez mais está mais claro o caminho profissional e como pessoa que quero seguir daqui em diante: gerar impacto positivo com o Design.

Para saber mais e ler os artigos do Design2021, clique aqui.

Categorias

Bootcamp UX Design

Construa projetos práticos e o seu portfólio com mentores exclusivos das principais startups do Brasil.

Escrito por